Quartzo – Estrutura Molecular & Geometria
", 26 de maio de 2018"

Conhecer a estrutura molecular do quartzo e os padrões geométricos subjacentes aprofunda nossa conexão com estes seres tão especiais do reino mineral. Este artigo é uma introdução ao fascinante tema da cristalografia e da estrutura interna molecular do quartzo, e sua relação com a geometria sagrada.

Hoje em dia existem muitas informações sobre os cristais de quartzo, a maioria voltada aos aspectos curativos e metafísicos destes incríveis seres do reino mineral. Existem poucas fontes de informação na língua portuguesa sobre outros aspectos do estudo do quartzo, bem como de sua relação com os aspectos energéticos, da nova ciência e da geometria sagrada. Esta situação inspirou-me a escrever uma série de artigos com o objetivo de suprir esta lacuna. Eles serão basicamente informativos, e se despertarem em você a curiosidade para explorar mais profundamente cada tópico, vá em frente. O primeiro é uma introdução à estrutura molecular dos cristais de quartzo e sua relação com a geometria sagrada.

INTRODUÇÃO

Todos os sólidos são divididos em duas classes: cristalinos e amorfos. Os sólidos cristalinos possuem uma estrutura molecular ordenada, enquanto os amorfos têm uma disposição interna aleatória, sem padrão definido. O vidro, por exemplo, é um sólido amorfo. Porém, nem sempre esta ordenação se refletirá na aparência externa dos cristais. Eles podem ter faces bem definidas (euédricos), imperfeitas (subédricos) ou mesmo não terem faces definidas (anédricos).

A ciência que estuda a forma básica dos cristais chama-se cristalografia, e tem impacto sobre praticamente todos os campos de atividade humana. Os padrões geométricos dos cristais foram inicialmente observados por Nicolaus Steno, em 1660. Ele conduziu medições precisas das estruturas internas e descobriu que os ângulos entre as faces é constante, o que ficou conhecido como Lei de Steno. No século seguinte, Abbé Hauy formulou a lei geométrica da cristalização, que levou a definição do que é o cristal: “qualquer substância no qual átomos e moléculas formam um arranjo ordenado e regular nas três dimensões”.

estrutura molecular quartzo

A cristalografia moderna começou a se desenvolver a partir da invenção dos raios-x pelo cientista alemão Wilhelm Roentgen em 1895. Anos depois Max von Laue ganhou o Nobel de Física em 1914 mostrando um padrão de difração dos cristais com o raio-x. No mesmo ano os Bragg (pai e filho) descobriram a cristalografia de raios-x, ficando com o Nobel de física em 1915. Ela permitiu determinar com precisão a posição dos átomos dentro de um cristal, mostrando assim a sua estrutura tridimensional.[1]

O fenomenal feito dos Braggs abriu caminho para importantes descobertas feitas nas décadas seguintes. Em 1964 Dorothy Hodgkin foi laureada com o nobel pela determinação das estruturas cristalinas de moléculas bioquímicas incluindo a penicilina, a insulina e a vitamina B12. A cristalografia também está por trás da descoberta do DNA. Em 1951, Rosalind Franklin mediu o padrão de difração do DNA e foi a sua imagem que serviu de base para que mais tarde Watson e Crick descobrissem a hélice dupla da estrutura do DNA.

Hoje a cristalografia é considerada uma ciência fundamental para o avanço tecnológico da humanidade, afetando praticamente todos os campos do conhecimento. Por tudo isso, e comemorando os 100 anos da descoberta dos Braggs, a UNESCO estabeleceu o ano de 2014 como o “Ano Internacional da Cristalografia”.[2]

E porque a cristalografia é importante para quem está interessado em cristais de quartzo? Na verdade, não é necessário conhecermos esta disciplina para trabalhar com cristais, mas com uma compreensão mais aprofundada dos padrões geométricos do quartzo podemos utilizar sua energia de uma nova maneira. Sinta isso por si próprio com a continuação da leitura.

Porém, antes de entrarmos nos detalhes da estrutura cristalina, vamos entender um pouco melhor o esquema de classificação do quartzo. “Quartzo” é um termo geral que compreende vários tipos diferentes de pedras, divididas em dois grandes grupos: macrocristalino e microcristalino. Representantes do primeiro grupo são quartzos transparentes, ametistas, citrinos, quartzos rosa, quartzos fumê, olhos de tigre, etc. No segundo grupo temos calcedônias, ágatas, crisoprásios, etc. Na linguagem popular, quando falamos “quartzo” nos referimos ao quartzo transparente, que é macrocristalino.

SISTEMAS CRISTALINOS

Um sólido cristalino caracteriza-se pelo arranjo ordenado de suas moléculas que se repetem nas três dimensões (eixos a1, a2 e c da figura abaixo). O eixo a3 pode ser desconsiderado para nossos propósitos. Estes arranjos podem ser descritos utilizando-se a intersecção destes eixos em um determinado ponto. Ao arranjo básico que se repete por todo o cristal dá-se o nome de célula unitária. Ela é a menor porção do cristal que ainda conserva as suas propriedades originais.

eixos quartzo

Com o desenvolvimento da cristalografia descobriu-se que existem sete arranjos básicos. Eles representam a estrutura de todos os sólidos cristalinos, conhecidos como os sete sistemas cristalinos. São eles: cúbico, hexagonal, trigonal (romboédrico), tetragonal, ortorrômbico, monoclínico e triclínico.[3] O quartzo geralmente é considerado hexagonal ou trigonal (veja figura abaixo). Os três eixos radiais formam seis faces iguais, criando um cristal de formato hexagonal que varia seu comprimento de acordo com o eixo “c” (que possui um ângulo de 90o em relação aos outros eixos). Os quartzos geralmente crescem como prismas de seis lados que terminam com uma pirâmide de seis lados. Existem também os que possuem pirâmides dos dois lados (biterminados). Outros cristais que possuem uma estrutura hexagonal são o citrino, a esmeralda, água marinha, rubi e safira.

sistemas cristalografia

Cada sistema cristalino é como se fosse um modelo virtual para a materialização do mineral. Richard Gerber, em seu importante tratado sobre a medicina energética “Medicina Vibracional” (Ed. Cultrix), diz na pág. 287:

Cada sistema cristalino apresenta uma afinidade ou ressonância energética sutil com um determinado sub-plano de energia no reino mineral.

É como se existisse uma semente dentro de cada mineral que carrega em si a geometria de um dos sete sistemas cristalinos. Forma-se então um cristal que tem um poder e foco específicos, e que pertence a um determinado sistema cristalino. Assim como cada átomo ou partícula carrega em si a consciência de Deus, cada célula unitária de cada mineral também possui esta mesma consciência, moldada por um dos sete sistemas cristalinos.

As propriedades específicas de cada sistema cristalino podem ser comparadas aos chakras, de forma a criar uma relação que vai nos dizer ainda mais sobre cada pedra com a qual trabalharmos.[4]

SISTEMA CRISTALINO NATUREZA CHAKRA
Trigonal Energizante Básico
Cúbico Terra Sacro
Hexagonal Vitalidade Plexo Solar
Tetragonal Equilíbrio Coração
Ortorrômbico Proteção Laríngeo
Monoclínico Movimento Frontal
Triclínico Perfeição Coroa

Para uma descrição mais detalhada da relação entre cada sistema e chakra, leia as páginas 290 a 292 do livro “Medicina Vibracional“.

Veja agora quais são algumas das pedras de cada sistema:

Cúbico diamante, ouro, pirita, sodalita
Tetragonal apofilita, rutilo, cassiterita
Ortorrômbico topázio, crisoberilo, zoisita
Hexagonal apatita, berilo
Trigonal quartzo (transparente, fumê, rosa), ametista
Monoclínico azurita, selenita, malaquita
Triclínico turquesa, rodonita

Cada pedra terá um comportamento relativo ao sistema cristalino ao qual pertence, e carregará também os seus atributos específicos, que podem ser estudados em qualquer manual de pedras disponível em livros ou na internet.

Porém o mais importante é que sejamos nós próprios os experimentadores dos efeitos das pedras em nós. Só assim poderemos apreender a linguagem da energia sutil que utilizam.

ESTRUTURAS E PADRÕES GEOMÉTRICOS DO QUARTZO

Segue-se uma introdução básica ao complexo tema que é imaginar a estrutura de um cristal de quartzo. A base deste estudo é a fantástica “Quartz Page“, criada e mantida pelo alemão Amir Akhavan.[5]

O quartzo que conhecemos é chamado de quartzo alfa, sua forma estável a temperatura ambiente. Possui uma estrutura molecular formada por tetraedros, com um átomo de silício (bola branca) e quatro de oxigênio (bola vermelha). Sua fórmula química geral é SiO2, e também é chamado de sílica. O ângulo de ligação dos átomos de silício e oxigênio é bem próximo ao angulo de um tetraedro ideal (109,5o).

tetraedro quartzo

Os vários tetraedros estão ligados entre si pelos átomos de oxigênio que compartilham, formando um angulo diferente de 180o.

ligacao tetraedros quartzo
Imaginemos várias linhas verticais que descem a partir da ponta do cristal, paralelas ao eixo “c”. A figura abaixo mostra uma dessas linhas em três representações. Note, da esquerda para a direita: tetraedros renderizados, tetraedros ligados e átomos como bolas de bilhar compactadas.

diferentes visoes helice

Abaixo podemos ver a rede interligada de tetraedros como se fosse vista de cima, olhando para a ponta do cristal em linha reta (plano “c”).

hexagono quartzo visto cima

E agora com os átomos como bolas de bilhar compactadas vistas mais de perto. Note que existem canais vazios que são paralelos ao eixo “c”, que são “gaps” na estrutura. Internamente o cristal de quartzo não é tão compacto quanto se vê a olho nú!!

 ligacao moleculas quartzo tetraedros

Nesta visão do plano “c” vemos os gaps e os tetraedros como bolhas de bilhar compactadas, gerando a estrutura hexagonal que é o formato externo do quartzo.

hexagono quartzo ligacoes moleculas

E uma perspectiva a partir do plano “a”, vendo o cristal de lado, também com o formato que o conhecemos.

quartzo visto como ligacoes tetreadros

Esta é uma simplificação do modelo completo da estrutura do quartzo, e  espero que seja suficiente para criar um sentimento de curiosidade e profundidade de forma que cada um investigue da sua forma os cristais. Muitas pessoas conhecem os nomes e as aplicações dos diversos cristais de quartzo e pedras, e alguns utilizam seus poderes para curar a si mesmos e os outros. Uma visão mais científica pode aumentar o nosso campo de consciência, uma vez que despertamos para as muitas outras conexões que antes passavam desapercebidas.

Resumindo: o cristal de quartzo possui uma estrutura unitária básica formada por tetraedros com um átomo de silício no meio e quatro átomos de oxigênio, um em cada ponta de cada tetraedro. Eles estão interligados entre si em grupos de três tetraedros, que por sua vez se agrupam entre si e em torno de uma hélice virtual paralela ao eixo “c”, que giram no sentido horário ou anti-horário. O agrupamento destes conjunto de tetraedros dá origem a célula unitária do quartzo, que é classificada como hexagonal (alguns cientistas o classificam como trigonal).

 INTEGRAÇÃO DAS VISÕES

Todos que trabalham com cristais de quartzo sabem do seu poder. São verdadeiros “lasers” que podem receber, armazenar, transformar e transmitir a energia vital, criando mais harmonia, equilíbrio e coerência.

O exame mais detalhado da estrutura do quartzo que fizemos acima é introdutório.

Não tenho a pretensão de atender os requisitos da ciência estabelecida. Porém guardo a esperança de que estas informações possam ser úteis para todos aqueles que amam o quartzo.

A seguir criaremos algumas conexões com a geometria sagrada, explorando as três principais formas geométricas presentes no quartzo: tetraedro, hexágono e espiral.

Tetraedro

O tetraedro é um dos cinco sólidos platônicos, está ligado ao elemento fogo, ao poder da manifestação e do espírito. É o princípio formativo, pois é o primeiro sólido que pode ser gerado. Simboliza a harmonia e o equilíbrio, já que a distância entre todas as suas pontas é igual, sem nenhuma tensão ou estresse, em condição de descanso. A figura abaixo mostra um tetraedro dentro de um cubo:

tetraedro dentro de cubo

É fácil imaginar que na verdade não existe apenas um tetraedro dentro do cubo, mas dois que estão invertidos um em relação ao outro, dando origem ao que é chamado de “merkaba”, que une de um lado a realização na matéria e por outro a unidade com o Divino. É também conhecido por tetraedro estrela.

tetraedro estrela

Nassim Haramein, físico moderno que une ciência e espiritualidade, e que trabalha para unificar a visão da física (mecânica quântica e teoria da relatividade) diz no vídeo “Black Whole” (2011) que o padrão fundamental da criação de toda matéria é uma junção de 64 tetraedros. Esta é a geometria do campo do ponto zero, de tudo o que existe, do campo que a tudo permeia. Os 64 tetraedros são formados por 8 tetraedros estrela (que possuem 8 pontas cada um):

64 tetraedros

O formato tetraédrico das moléculas de quartzo sugere que quando trabalhamos com cristais lidamos com uma energia sutil. Ela se origina de padrões bem definidos e ordenados, conectados ao poder de criação do universo.

O tetraedro está baseado na forma triangular, que traz em si a união das forças feminina e masculina. A união das duas gera uma terceira força, que é a própria criação (pai-filho-espírito santo, trindade).

Hexágono

O hexágono é uma figura geométrica que ocorre por toda a natureza. O físico francês Bénard observou formações muitas vezes de hexágonos perfeitos em fervura de líquidos[6]. Simboliza a integração dos princípios do três (trindade), já que condensa em si seis triângulos equiláteros.
Um dos mais conhecidos hexágonos da natureza são as colméias. Ocorre também nos quartzos, na celulose das plantas, em cristais de gelo, etc.

Abaixo você pode ver alguns cristais de gelo fotografados pelo Dr. Masaru Emoto, conhecido pelo seu trabalho com a água.
cristais gelo cristais gelo azul
Outra forma de ver o  hexágono é como uma estrela de David. A ponta de cima representa o espírito e a de baixo a matéria, e representa também o equilíbrio entre as forças masculina e feminina.

estrela de davi

O hexágono pode ser visto como a composição de relacionamentos complexos, interdependentes e fortalecidos como uma rede infinita de conexões. A colméia é um grande exemplo deste formato, sendo uma poderosa metáfora que nos lembra da nossa interconexão e Unidade.

colmeia

Finalmente, um dos hexágonos mais conhecidos: o da árvore da vida que vem da tradição espiritual judaica.

arvore da vida

Espiral

Leonardo Fibonacci foi um matemático italiano que introduziu o sistema decimal na Europa. Ele contribuiu muito para a teoria dos números, e é bastante conhecido pelo que se chama de Sequencia de Fibonacci. Esta sequencia ocorre frequentemente na natureza, e é obtida somando o número anterior da lista para formar o próximo e assim por diante. Exemplo: 1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34, 55, 89, 144, …. Se dividirmos qualquer número da sequencia pelo anterior, o resultado será sempre próxima do número 1,618… Este número é conhecido como Proporção Áurea.

retangulo ouro

A proporção áurea foi utilizada também para projetar e construir templos sagrados antigos, de forma a facilitar a conexão com o Divino. Eles conheciam a linguagem da natureza e procuravam imitá-la, vivendo de forma mais harmônica e equilibrada. Veja aqui as diversas formas em que a natureza se comunica conosco utilizando a espiral de Fibonacci.

A seguir você pode ver um “crop circle” (círculo das plantações) em formato de espiral. Eles aparecem de forma misteriosa em várias partes do mundo, principalmente na Inglaterra. Muitos deles trazem a forma espiralada, e sugerem para os pesquisadores que alguém está tentando se comunicar conosco.

crop circle fibonacci

A espiral é energia em movimento, e evolui para uma forma conhecida como Tórus quando a colocamos em movimento. O Tórus já é reconhecido pela ciência e parece ser um padrão subjacente a toda vida. O campo magnético da terra tem o formato do Tórus. E também o campo eletromagnético gerado pelo nosso coração:

torus duplo

CONCLUSÃO

A natureza é a nossa grande professora. Perceber com atenção os padrões que estão por trás de toda criação aumenta o nosso nível de conexão.

Os padrões geométricos do quartzo são poderosas metáforas para aprofundarmos nossa conexão com a energia sutil gerada por eles.

Espero ter aguçado a mente dos amantes dos cristais, e despertado o interesse em aprofundar o seu estudo. Têm sido incrível esta jornada para compreender mais profundamente o impacto do quartzo em nossas vidas.

No próximo artigo, confira a história do quartzo e suas diversas aplicações na vida moderna.

Por Luiz Pontes

26 de Maio de 2018  

Reprodução autorizada desde que citada a fonte.

REFERÊNCIAS

[1] Ano Internacional da Cristalografia – http://www.tribunadabahia.com.br/2014/08/21/um-premio-nobel-de-pai-para-filho-o-ano-internacional-da-cristalografia-2

[2] Ano Internacional da Cristalografia – documento em PDF (faça o download aqui)

[3] CPRM – Serviço Geológico do Brasil – http://www.cprm.gov.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=1279&sid=129

[4] Berger, Richard – Medicina Vibracional – Ed. Cultrix – pág 288

[5] Quartz Page – http://www.quartzpage.de/

[6] Pennick, Nigel – Geometria Sagrada – Ed. Pensamento – pg. 19

Faça seu comentário

Comentários