Nutrição Sonora - Como o som pode nos ajudar no dia a dia

Nutrição Sonora: como o som pode nos ajudar no dia a dia
", 1 de setembro de 2017"

A ideia de nutrição sonora desenvolve em nós a consciência da importância do som no dia a dia.

Os sons que ouvimos no dia a dia nos afetam profundamente. Eles podem nos relaxar ou exaurir, nos curar ou tornar doentes. Quando ficamos mais conscientes dos sons que nos rodeiam e como eles agem em nós, podemos utilizá-los a nosso favor, para criar mais harmonia, equilíbrio e bem-estar.

Hoje, mais do que em qualquer outra época da história, as pessoas estão cada vez mais  preocupadas com a qualidade do que comem.

Na década de 70 entrou em voga a dieta macrobiótica, e de lá para cá temos assistido a uma crescente preocupação com os alimentos, com o surgimento dos orgânicos e de uma alimentação mais natural, menos processada e sem sabores artificiais e conservantes.

Hoje em dia os rótulos dos alimentos nos mostram exatamente o que estamos comendo, e podemos escolher abrir a nossa boca para o que nos faz bem, e fechá-la para o que faz mal.

Podemos pensar da mesma forma com relação ao que ouvimos!

“Ingerimos” sons 24 h por dia, mesmo dormindo. E não só através dos nossos ouvidos, mas com todas as células do nosso corpo.

Os sons estão em toda parte. São vibrações mecânicas que movimentam as moléculas de oxigênio que nos rodeiam e que atingem o nosso corpo, alterando a nossa fisiologia de muitas maneiras diferentes.

Podem ser gerados pela natureza ou por nós, humanos.

Pense na diferença entre o canto do pássaro numa montanha silenciosa e na sirene de uma ambulância no trânsito.

Os sons gerados pelo “progresso” humano e pelo uso extensivo da tecnologia criaram um meio ambiente muito barulhento.

Note, por exemplo, que em geral os prédios e estabelecimentos ainda não são projetados levando em conta a acústica, ou seja, uma experiência sonora mais agradável para as pessoas que circularem no local (um dos melhores exemplos que conheço é a praça de alimentação dos grandes shoppings).

Como não temos muitas vezes como nos livrar destes sons que nos fazem mal, a melhor forma de lidar com esta questão é desenvolver uma maior consciência de como os diversos tipos de som, incluindo a música, afetam a nossa saúde e equilíbrio geral.

Isso permite que a gente comece a escolher as sonoridades que queremos para nossa vida. E a trabalhar para diminuir a influência dos vários ruídos que nos rodeiam.

Isto é ainda mais importante ainda pelo fato de que, diferente da boca, que podemos fechar para uma alimentação ruim, os ouvidos estão sempre abertos, mesmo quando estamos dormindo.

Só temos a ganhar quando nos tornamos responsáveis pelos sons que escolhemos para a nossa vida.

Assim como tomar bastante água é fundamental para a saúde, escutar sonoridades que nos fazem bem afeta a nossa fisiologia e nosso estado geral para melhor. Ficamos mais calmos, relaxados e felizes.

Por outro lado, ser constantemente submetido a níveis altos de ruído também afetam a nossa fisiologia e estado geral. Ficamos mais estressados, sem energia e irritados.

Sim, talvez uma grande parte do seu mal-estar ou de pessoas que você conhece seja devido à exposição a um alto nível de ruído.

Abaixo proponho um exercício interessante. Ele vai lhe ajudar a ter mais consciência das sonoridades a que você se submete diariamente. Compartilhe o resultado com amigos, e compare sua situação com a dele. Você poderá se surpreender.

EXERCÍCIO PARA AUMENTAR A CONSCIÊNCIA SÔNICA

Para este exercício você precisará de 10 minutos sem ser interrompido. Desligue todos os equipamentos eletrônicos.

  1. Pegue uma folha de caderno universitário e uma caneta.
  2. Sente-se confortavelmente, feche os olhos. Respire profundamente 3 vezes. Relaxe.
  3. Comece a prestar atenção aos sons ao seu redor, e comece a tomar nota. Pode ser o canto do pássaro, o cortador de grama, o vizinho escutando música alta. Na frente de cada um coloque um “A” se for um som agradável, ou um “D” se for um som desagradável.
  4. Aprofunde seu estado de atenção para os sons quase inaudíveis.
  5. Continue anotando por no mínimo cinco minutos.

Faça este exercício quantas vezes quiser, em locais diferentes e situações diferentes.

Você vai se surpreender com a quantidade de sons que muitas vezes passam desapercebidos. Nem por isso deixam de nos afetar, positiva ou negativamente.

Podemos colocar de forma consciente mais sonoridades agradáveis no dia a dia, incluindo prestar atenção aquelas que já estão disponíveis (sons da natureza).

Quanto mais escutarmos sonoridades agradáveis e harmônicas, mais saúde teremos.

MÚSICA

Música é o som organizado. Notas musicais encadeadas de acordo com leis bem conhecidas formam lindas criações que afetam profundamente a todos nós.

Assim como qualquer sonoridade das quais falamos acima, a música têm uma importância fundamental para a humanidade.

Está conosco há milênios. A primeira música conhecida é um hino sumério de 3400 anos atrás. [1]

Representa culturas, é voz para as minorias e instrumento de protesto. Ajuda a expandir o amor e é um veículo para a cura. Traz a diversidade para a unicidade.

É uma forma de expressar nossa arte matematicamente.

É uma das mais sublimes manifestações da humanidade. Inayat Khan, músico sufi, disse: “a música é o retrato do nosso Bem Amado.“[2]

É usada desde há muito tempo para a saúde e o bem-estar. Os primeiros registros de uso terapêutico da música remontam aos gregos. [3]

Na década de 40, algumas pessoas começaram a observar o efeito da música nos seres humanos e criaram a musicoterapia, ensinada nas universidades e praticada em hospitais, clínicas, asilos e centros de recuperação.

A música é poderosa e nos afeta de forma que a neurociência está apenas começando a descobrir.

Quanto mais músicas ouvimos e/ou tocamos, mais conexões neuronais são feitas.

Mas tudo depende da intenção. Como e para quê ouvimos música? Escuto verdadeiramente?

Como a usamos depende totalmente de nós. Se soubermos utilizar, ela pode fazer muito por cada um de nós.

Ganhamos muito quando investimos em nossa formação musical (e não precisa ser músico para fazer isto).

Basta começar a ouvir mais música!

Se você está costumado com um ou dois estilos, comece a escutar outros. Escute música de outros países e culturas. Música moderna e antiga. Clássica e pop. E muita música brasileira em seus inúmeros ritmos e diferenças.

Permita que seu cérebro se delicie com as novas conexões. Vai te fazer bem, você ficará mais nutrido e feliz!

O SOM QUE NOS AJUDA

Quero falar agora sobre um outro tipo de sonoridade que existe, mais simples e que não pode ser considerada música.

Pode ser apenas uma nota tocada ou cantada de forma contínua.

Um exemplo simples e prático disso são as vogais. A humanidade conhece o poder de entoar as vogais há muito tempo. Qualquer pessoa pode fazer, basta emitir o som da vogal de forma contínua, dando pausas para respirar. A isto damos o nome de entonação.

A voz é o instrumento mais poderoso que existe, e existem inúmeros exemplos de pessoas que transformaram suas vidas quando começaram a se expressar através da voz.

Apesar disso, a paixão que o ser humano nutre pela música e pelo som resultou na criação de diversos instrumentos que começaram a ser criados (ou recriados) para nos ajudar no processo de trazer mais sonoridades agradáveis e curativas para a nossa vida.

As tigelas de cristal de quartzo, as taças tibetanas de metal, o didgeridoo, o tambor e outros tantos instrumentos são ferramentas de inestimável valor que trazem uma possibilidade muito interessante: a de produzir o próprio som.

Por serem fáceis de tocar e acessíveis, eles estão se espalhando pelo Brasil, que começa a ver um ressurgimento desta antiga arte de curar através do som.

Cada um deles tem propriedades e aplicações específicas, e podem ser utilizados por qualquer pessoa, inclusive terapeutas e profissionais da saúde.

Alguns deles você pode conhecer, outros não. Pesquise. Escute as sonoridades na Internet. Você pode estar prestes a descobrir um valioso instrumento para o seu desenvolvimento pessoal e evolução.

Além da oferta de vários instrumentos diferentes, existem também as tecnologias digitais.

Hoje em dia é muito fácil encontrar no Youtube trilhas digitais feitas a partir de tecnologias que foram desenvolvidas a partir de uma descoberta científica muito importante: certos sons podem alterar as nossas ondas cerebrais, fenômeno conhecido como “encadeamento de ondas cerebrais”.

Existem diversos tipos de áudios, mas de forma geral você ouve sons da natureza (chuva, ondas do mar, vento, etc…), e no fundo outras frequências e/ou pulsos, que normalmente não escutamos e que promovem o encadeamento das ondas cerebrais (o que não escutamos também nos afeta).

Dentre estas tecnologias temos  os batimentos bineurais, os monaurais e os tons isocrônicos. Acompanhe o blog para um aprofundamento neste assunto (próximos artigos), e faça a sua pesquisa na internet. Escute e sinta por você mesmo se funciona.

Eu uso um CD de tecnologia bineural para me ajudar a ser mais produtivo e focado. Escrevo enquanto escuto, com fone de ouvido, o som das ondas do mar… já o tenha usado há muito tempo, e de fato minha produtividade, criatividade  e capacidade de concentração crescem enquanto escuto!

PARA TERMINAR

Sons estão presentes em todo lugar e em todos os momentos.

Nós somos som!

Que possamos harmonizar o nosso som interno e usar as sonoridades e a música para trazer mais bem-estar e harmonia para a nossa vida.

Faço isso desde 2008, quando conheci as tigelas de cristal de quartzo. Naquela época, ainda não tinha ideia de tudo o que o som transformaria em minha vida. Incrível!

E sentindo profunda gratidão por este caminho, deixo com vocês um presente, uma sonoridade muito especial que preparei com amor e carinho.

É a “meditação do coração”, feita enquanto toco uma tigela de cristal de quartzo.

Que ela possa despertar em você o melhor. Que ela possa te nutrir e trazer o que você necessita agora.

Desfrute!

Namastê!

[1] http://www.openculture.com/2014/07/the-oldest-song-in-the-world.html

[2] Música. Sufi Inayat Khan, pag. 5

[3] https://pt.wikipedia.org/wiki/Musicoterapia#Hist.C3.B3ria

Faça seu comentário

Comentários